Falta de Comunicação SOCIAL

No meu dia a dia com ciclos de palestras e cursos que participo sou bombardeada de informações como: ROI, aumento das vendas, lucros, alcançar clientes, campanhas de marketing, planejamento, gestão de crises, dentre outros termos digamos… “capitalistas” que visam lucro e VERY MONEY.

Na minha opinião isso torna a profissão (jornalista, publicitário, RP, marketeiro…) cada dia mais vaidosa, transformando alguns profissionais em “guru da comunicação” que cobram $500,00 para te dar uma informação ou não aceitam de jeito nenhum compartilhar conhecimento.

Por favor, não jogem pedras em mim!!! Precisamos SIM ganhar nosso dinh dinh, fazer valer a pena nossa faculdade, MBA e investimento que fazemos em cursos. Mais conheci um outro lado no “Seminário de Mídia Comunicação e Direitos Humanos

Eu nunca tinha participado de um evento que envolvesse Direitos Humanos, no primeiro momento achei estranho militantes criticando grandes mídias por não conseguirem apoio, divulgação de suas causas, notas, enfim… Pessoas ali que aparentemente (digo isso porque não conheço de perto o trabalho deles) querem apenas um espaço na “grande mídia” e não tem. Representantes de causas como: Pedofilia, TV Comunitária, Rádio Favela, e outras ONGS clamam por espaço. Por que não conseguem? Não sei! Essa é a minha dúvida. Não sei se existe envolvimento político ou se as “grandes mídias” realmente não ajudam porque não dão “lucro”.

Na oficina de blog que tivemos com Robson Sávio o representante da Associação dos Diabéticos de Belo Horizonte – ASSODIBELO perguntou: “Eu quero ter um blog, como faz? Paga? Quanto custa um blog?” Posso estar errada mais senti uma certa “necessidade” de investimento em profissionais da comunicação nas entidades que lutam por essas causas, “ah, mais profissional da comunicação é caro” é o que eu disse no começo do texto sobre a vaidade da profissão mais acredito que tenha sim profissionais / empresas que possam ajudar de alguma forma.

Eu abracei o projeto Proteja Seu Filho na Internet Gracielle Torres é fundadora do projeto conversamos bastante, e ela faz tudo sozinha!!! Fiquei impressionada com a disposição do coração dela pela causa, ela também não tem apoio das grandes mídias a não ser o facebook ela acredita muito no poder de influência das redes sociais (mais um motivo para eu me apaixonar pelo projeto).

Vou pesquisar mais sobre o assunto, mais ainda me questiono o motivo da falta do setor de Comunicação dentro dos projetos e a falta de apoio da mídia com algumas causas.

Quem quiser contribuir com o projeto Proteja seu Filho na Internet podem entrar em contato comigo.