#Sasadica Marketing Digital para divulgação de shows e eventos

Marketing Digital e divulgação de eventos em redes sociais está muito além de criar um evento no Facebook, criar um banner e marcar mais 899 amigos. Se você faz isso pode parar porque tá feio e você será o próximo bloqueado da lista de muita gente, além de ser totalmente inconveniente.

O último evento que trabalhamos foi o Update Wedding que gerou números incríveis com a divulgação realizada nas redes sociais e imprensa em geral. O evento foi em BH mas o impacto foi nacional, recebemos inscrições de mais de 20 cidades de diversos estados do Brasil. Mas vou falar aqui sobre as  ferramentas de mídias sociais que usamos: vídeo, email marketing, anúncios no Facebook e Instagram, evento no Facebook, cobertura on line em 2 perfis e muito estudo e conhecimento do público alvo e para isso ter o suporte da realizadora do evento (Renata Lima) foi fundamental.

Vou deixar aqui alguns números que mostram como foi o nosso trabalho de uma forma geral:

Além disso, fizemos um levantamento de formadores de opinião e blogueiros para serem convidados para o desfile exclusivo da Camargo Alfaiataria que aconteceu dentro do Congresso e foi UM SUCESSO! 

Então, quero deixar essas dicas para você que quer divulgar seu evento utilizando as redes sociais:

  • Desenhe bem o seu público e o comportamento dele. Muito além de “homens e mulheres de 24-35 anos…” Veja onde ele está, o que ele gosta de fazer, quais são suas atividades do dia-a-dia, etc… Com esse mapeamento você consegue criar postagens que “conversa” com eles.
  • Se você sabe só impulsionar postagem recomendo que invista em um profissional para criar os anúncios para você. Sim, tem diferença de impulsionar post e criar anúncio segmentado com um objetivo específico da campanha. Um dos resultados mais valiosos nos relatórios dos anúncios do Update foram as pessoas que não conheciam o evento, eram fornecedores gerais (não eram cerimonialistas) e foram impactadas pelo anúncio.
  • Esteja ligado às novas mídias e se essas novas mídias se “conectam” com o seu público. Por exemplo, nós criamos um filtro no Snapchat exclusivo para o Update Wedding, mas só fizemos esse investimento porque sabíamos que uma boa parte dos congressistas usam Snapchat, criamos também o “crachá” onde as pessoas colocavam um selo de “Eu Vou” na sua foto de perfil nas redes sociais. Muita gente usou e a repercussão foi muito boa.
  • Conteúdo para redes sociais + Evento no Facebook. Faça e convide apenas pessoas que tem o perfil do seu evento, pode acontecer de um amigo conhecer alguém que tenha interesse, para isso, compartilhe o evento na sua timeline fale sobre a sua proposta e não force a barra convidando pessoas “nada a ver”. 😉

Veja como foi o congresso:

 

Falta de Comunicação SOCIAL

No meu dia a dia com ciclos de palestras e cursos que participo sou bombardeada de informações como: ROI, aumento das vendas, lucros, alcançar clientes, campanhas de marketing, planejamento, gestão de crises, dentre outros termos digamos… “capitalistas” que visam lucro e VERY MONEY.

Na minha opinião isso torna a profissão (jornalista, publicitário, RP, marketeiro…) cada dia mais vaidosa, transformando alguns profissionais em “guru da comunicação” que cobram $500,00 para te dar uma informação ou não aceitam de jeito nenhum compartilhar conhecimento.

Por favor, não jogem pedras em mim!!! Precisamos SIM ganhar nosso dinh dinh, fazer valer a pena nossa faculdade, MBA e investimento que fazemos em cursos. Mais conheci um outro lado no “Seminário de Mídia Comunicação e Direitos Humanos

Eu nunca tinha participado de um evento que envolvesse Direitos Humanos, no primeiro momento achei estranho militantes criticando grandes mídias por não conseguirem apoio, divulgação de suas causas, notas, enfim… Pessoas ali que aparentemente (digo isso porque não conheço de perto o trabalho deles) querem apenas um espaço na “grande mídia” e não tem. Representantes de causas como: Pedofilia, TV Comunitária, Rádio Favela, e outras ONGS clamam por espaço. Por que não conseguem? Não sei! Essa é a minha dúvida. Não sei se existe envolvimento político ou se as “grandes mídias” realmente não ajudam porque não dão “lucro”.

Na oficina de blog que tivemos com Robson Sávio o representante da Associação dos Diabéticos de Belo Horizonte – ASSODIBELO perguntou: “Eu quero ter um blog, como faz? Paga? Quanto custa um blog?” Posso estar errada mais senti uma certa “necessidade” de investimento em profissionais da comunicação nas entidades que lutam por essas causas, “ah, mais profissional da comunicação é caro” é o que eu disse no começo do texto sobre a vaidade da profissão mais acredito que tenha sim profissionais / empresas que possam ajudar de alguma forma.

Eu abracei o projeto Proteja Seu Filho na Internet Gracielle Torres é fundadora do projeto conversamos bastante, e ela faz tudo sozinha!!! Fiquei impressionada com a disposição do coração dela pela causa, ela também não tem apoio das grandes mídias a não ser o facebook ela acredita muito no poder de influência das redes sociais (mais um motivo para eu me apaixonar pelo projeto).

Vou pesquisar mais sobre o assunto, mais ainda me questiono o motivo da falta do setor de Comunicação dentro dos projetos e a falta de apoio da mídia com algumas causas.

Quem quiser contribuir com o projeto Proteja seu Filho na Internet podem entrar em contato comigo.